Belém

Belém se mostra ao turista sempre encantadora, com seus traços marcados por forte identidade cultural e arquitetônica. No bairro da cidade Velha, salta aos olhos o contraste do patrimônio histórico – herança de Portugal e outras influências européias, refletida no casario antigo – como o pós-moderno, representado pela Estação das Docas, onde todos se encontram, no almoço, no pôr do sol ou à noite, para se deliciar com a brisa do Rio Pará, com a alegria contagiante do local e com o cardápio de excelente qualidade, como exige o rigor da culinária paraense.

Basílica de Nazaré, Teatro da Paz, Praça da República e Praça Batista Campos também devem ser visitados, assim como o Mangal das Graças, às margens do Rio Guamá, povoado de aves raras da Amazônia. Uma flora típica em desenvolvimento, escolhida para ser uma das mostras mais perfeitas da nossa floresta tropical, se impõe por todos os lados. Do alto do Farol, uma vista quase completa de Belém, que aos poucos abre suas janelas para o rio. No Espaço São José Liberto, encontramos o Pólo Joalheiro, onde o ouro e outras riquezas minerais do Pará são transformados em jóias de puro requinte.

A natureza verde de Belém ainda pode ser vista no Jardim Botânico Bosque Rodrigues Alves, no Museu Paraense Emílio Goeldi e no Bioparque Amazônia. No entorno da cidade, mais de 70 ilhas e um cotidiano de vida ribeirinha encantador. Carimbó, suruá, marujada, boi bumbá, pássaros juninos, Iundu, brega, tecnobrega, guitarrada e calypso são alguns dos ritmos que embalam as manifestações culturais – entre as quais se destaca o Círio da Nossa Senhora de Nazaré, padroeira da Amazônia, sempre no segundo domingo de outubro, quando mais de dois milhões de fiéis e milhares de turistas se encontram numa gigantesca demonstração de fé.

Solicite Atendimento

*