Egito

ÁREA: 1.001.449 km²

CAPITAL: Cairo

POPULAÇÃO:  84 milhões de habitantes (estimativa 2012)

MOEDA: libra egípcia

NOME OFICIAL : República Árabe do Egito (al-Jumhuriya Misr al-'Arabiya).

NACIONALIDADE: egípcia

DATA NACIONAL: 23 de julho (Aniversário da Revolução).

DIVISÃO ADMINISTRATIVA: 27 governadorias

GOVERNO: República Semipresidencialista

 

O Egito é situado no norte da África que inclui a península do Sinai, na Ásia o que o torna um Estado transcontinental, faz fronteira a oeste com a Líbia, ao sul com o Sudão e a leste com a faixa de Gaza e Israel. No Egito a língua oficial é o árabe, inglês e francês.

As etnias existentes são egípcios, berberes, beduínos, gregos, armênios, europeus principalmente italianos e franceses. Deles a maioria é das religiões muçulmana, cristãos coptas e outros cristãos

A regularidade e a riqueza das cheias anuais rio Nilo, juntamente com semi-isolamento fornecidas pelos desertos ao leste e oeste, permitiram o desenvolvimento de uma das maiores civilizações do mundo. Um reino unido surgiu cerca 3200 a.C, e uma série de dinastias deliberaram no Egito por três milênios.

A última dinastia sucumbiu para os nativos persas em 341 a.C, que por sua vez, foram substituídos pelos gregos, romanos, e Bizantinos. Foram os árabes que introduziram o Islã e a língua árabe, no século 7.

Um regime militar, os Mamluks assumiram o controle em 1250 e continuou a governar após a conquista do Egito Otomano pelos turcos em 1517. Após a conclusão do Canal do Suez em 1869, o Egito se tornou um importante pólo de transporte do mundo, mas com grande dívida. Ostensivamente para proteger seus investimentos, a Grã-Bretanha tomou o controle do governo do Egito em 1882, mas a fidelidade ao Império Otomano continuou até 1914. Parcialmente independente do Reino Unido em 1922, o Egito adquiriu a sua plena soberania com a derrubada da monarquia apoiada pela Inglaterra em 1952.

O rápido aumento da população (a maior do mundo árabe), as limitadas terras aráveis, e a dependência do Nilo para todos os recursos continuaram a sobrecarregar a sociedade.

O governo tem lutado para satisfazer as crescentes exigências da população do Egito através de reformas econômicas e de investimentos maciços em infra-estrutura física e de comunicações.